A Ressaca


Título original: Hot Tub Time Machine
Ano: 2010
Direção: Steve Pink

A Ressaca foi feito para ser o Se Beber, Não Case de 2010, mas não consegue. Não consegue, pois este filme não tem uma estrutura narrativa tão eficiente e nem garante a mesma quantidade de risadas de Se Beber, Não Case. De qualquer forma, é uma experiência divertida na maior parte do tempo.

Nos minutos iniciais ficamos cientes de que as vidas de Adam (John Cusack), Nick Webber (Craig Robinson) e Lou (Rob Corddry) não são lá grande coisa, tanto que Lou tenta o suicídio. Depois do acontecido, os amigos resolvem passar um tempo no Kodiak Valley, um local em que eles costumavam se divertir nos anos 80. Jacob, sobrinho de Adam, vai junto.

O roteiro claramente não quer se levar a sério na questão da viagem no tempo e nem deveria. O fato é que os 4 voltam para o ano de 1986 e é aí que o filme engrena. Algumas das melhores piadas acontecem quando os quatro começam a perceber que voltarem no tempo. O que vou dizer não é exatamente um spoiler, mas uma dessas piadas envolve um cantor que estava bombando na época.

Voltar no passado seria uma boa oportunidade para os três tomarem decisões diferentes para quem sabe terem um futuro melhor, mas Jacob recomenda que eles façam as coisas da mesma forma que fizeram antes, se não problemas podem ocorrer.

Se você espera algo parecido com De Volta Para o Futuro, pode esquecer. A ressaca não tem nada da magia, do humor ou da sensibilidade daquele filme. As semelhanças ficam por conta  da presença de Crispin Gloover e do conceito de viagem no tempo.

O filme conta com algumas piadas inspiradas e com outros bons momentos, como aquele em que Nick resolve cantar uma música do Black Eyed Peas e faz sucesso com o público. Mas é pouco. É evidente que este era um material rico, com potencial para se transformar num jovem clássico, algo que ficou muito longe de acontecer.

Nota: 7

/bruno knott