Review: Lost 1×08 – Confidence Man

kate-sawyer-1x08

 

NA ILHA
Não bastasse Sawyer não demonstrar preocupação com a asma de Shannon ao não lhe entregar a sua bombinha, recai sobre ele a suspeita de ter agredido Sayid no final do episódio anterior. Jack e Sayid decidem então partir para a ignorância e torturá-lo. Em alguns momentos, Sawyer parece querer apanhar, como se estivessem se martirizando por alguma coisa. Durante a tortura ele diz que só vai contar onde está a bombinha para Kate e aí temos o primeiro beijo dos dois, que é seguido por um baita soco que Kate desfere na cara de Sawyer, pois este diz que jamais viu a bombinha. Em um momento intimista, Kate descobre o passado doloroso de Sawyer, que não admite que alguém sinta pena dele por isso. É notório que os dois se aproximam bastante neste episódio.

FLASHBACK
Sawyer se revela um golpista de primeira, usando o seu charme para conquistar mulheres casadas e obter a grana de seus maridos. No momento de finalizar um golpe que provavelmente iria destruir toda uma família, ele vê um garoto e se arrepende, não seguindo em frente com o plano. O fato é que Sawyer viu o seu passado quando olhou para o garoto e decidiu desistir.

CONFIDENCE MAN
Trata-se de alguém que pratica golpes, exatamente o que Sawyer fazia antes da ilha.

NOTA
8

Lost S06E04 The Substitute

Spoilers só depois da foto.

IMPRESSÕES GERAIS
Lost 6×04 – The Substitute é um episódio centrado em Locke na realidade paralela e no falso Locke dentro da ilha. Quem não gosta de episódios no estilo do anterior pode ficar tranquilo. Aqui a trama avança significativamente, ainda que não saibamos exatamente para onde ela está indo. É daquele tipo de episódio que termina de uma forma muita rápido e provavelmente que necessita de mais do que uma assistida. Um dos maiores segredos de toda a série começa a ser respondido e isso é mais do que suficiente para fazer deste um EXCELENTE episódio. Chamo a atenção para as mudanças dos personagens na realidade paralela. Onde está Locke e o homem de fé? Mudanças, mudanças. Estou gostando muito dos flash-sideways, mas não sei se haverá tempo suficiente para termina-los de uma maneira satisfatória. Temos que esperar e confiar.
Nota: 9

NA ILHA
Logo de cara acompanhamos uma sequência fantástica do falso Locke em forma de monstro. Ficamos no seu ponto de vista e percorremos a ilha. Aquele barulinho de engrenagem é um espetáculo.

Há uma conversa do falso Locke com Richard. Eles discutem sobre Locke e o fato deste ser um candidato ou no caso, de ter sido um candidato. Mas… candidato a que e escolhido por quem? Calma. Teremos respostas. (F)locke vai em busca de Sawyer.

Enquanto isso, Ilana recolhe as cinzas de Jacob. O que isso quer dizer? Será simplesmente algo para se proteger do monstro? Illana, Ben, Lapidus e Sun enterram o corpo do verdadeiro Locke. Como disse Lapidus, é o funeral mais estranho possível. Detalhe para o Ben dizendo que Locke era um homem de fé, mas, na realidade paralela, ele demonstra que não acredita em milagres. São essas diferenças entre as realidades que me agradam e muito.

Voltemos para o (F)locke. Ele encontra Sawyer curtindo sua fossa com whisky e rock and roll. Como convencer Sawyer a ir com ele? Que tal isso: “Quer saber porque você está nessa ilha?”. Claro e nós também.

A resposta para isso se encontra num buraco no meio da encosta na ilha. Há uma pedra branca e uma pedra preta equilibrando uma balança. (F)locke pega a pedra branca e a joga no mar, dizendo a Sawyer que isso é uma piada interna. Ótimo simbolismo.

Agora, a surpresa. Na parede estão os nomes dos Losties ao lado dos números. AQUELES números.

4 – Locke
8 – Reyes
15 – Ford
16 – Jarrah
23 – Shepard
42 – Kwon

Todos tiveram contato com Jacob durante suas vidas e influenciados por ele foram parar na ilha. Os números estão aí simplesmente porque Jacob “gosta de números”. Essas pessoas são os candidatos escolhidos por Jacob para protegerem a ilha. Agora, o que mais mexeu com a minha cabeça foi (F)locke dizendo que não tem nada para ser protegido, que é apenas uma ilha. Verdade ou mentira?

Outro detalhe, onde está Kate nisso tudo? Afinal, ela recebeu a visita de Jacob quando criança e estava na lista da primeira temporada.

F.A.N.T.Á.S.T.I.C.O.

FLASH-SIDEWAYS
Já me alonguei demais, portanto serei breve agora.

As cenas aqui mostram um Locke muito desapontado por viver numa cadeira de rodas. Além disso, vemos mudanças. Ele está prestes a se casar com Helen e ao que tudo indica tem um bom relacionamento com o pai. Então, como será que ele ficou paraplégico nesta realidade paralela?

Lock é demitido e desconta sua raiva em um carro amarelo. O dono do carro não é ninguém mais, ninguém menos do que Hurley. Nosso “gordinho” preferido está mesmo sortudo. John Locke não consegue nem arranhar o carrão do Hurley.

Como uma força do destino, ele encontra alguns “conhecidos”. Hurley, Rose e até Ben. Estou louco pra ver como ele e Ben vão se relacionar, já que Locke conseguiu um emprego de professor substituto no mesmo colégio em que Ben é professor de História.

Como já falei, Locke aqui não é mais um homem de fé.

Quando Rose o está ajudando a arrumar um emprego, ela diz que vai encontrar algo que ele possa fazer. Locke apenas a olha com uma cara feia, mas não diz nada. A sua famosa frase: “Não me diga o que não posso fazer” poderia ter sido usado ali, mas não foi. Ela foi usada na ilha pelo falso Locke. Estranho, não? Será que o HOMEM DE PRETO que está no corpo de Locke absorveu alguma coisa da essência do Locke?

De que maneira as coisas vão acontecer para que Locke finalmente encontre Jack? Mal posso esperar.

Lost S06E03 What Kate Does

E ae pessoal! Temos aqui mais um review de Lost para vocês. Este post marca o padrão que os reviews de Lost vão ter aqui no Cultura Intratecal. Espero que gostem. Spoilers só depois da foto! Confiram.

IMPRESSÕES GERAIS
Muitas pessoas vão torcer o nariz para este episódio e eu até entendo os motivos, apesar de não concordar muito. Como diz o título, a história está centrada na Kate e quem não é muito fã da moça e das suas atitudes talvez se decepcione. Não temos aqui um episódio frenético, cheio de ação e empolgante. Não. O que temos aqui é um episódio mais intimista, principalmente nas cenas em que vemos Kate e Sawyer tendo uma triste conversa e no flash-sideway da Kate em LA. Sobra espaço para o desenvolvimento da história da ilha, ainda que de maneira homeopática. O pessoal do templo começa a mostrar quem de fato eles são e o que eles pretendem fazer com Sayid. E como Lost é Lost, há uma interessante surpresa no final, envolvendo um personagem “desaparecido”.
Nota: 7

NA ILHA
Tudo começa com o Sayid voltando do mundo dos mortos. O que de fato aconteceu com ele? Como alguém que morre pode ressucitar dessa forma? Se você está curioso quanto a isso e espera uma resposta completa neste episódio, não vai encontrar. Pistas são deixadas, mas ainda não é o suficiente.

Sawyer está bem diferente. A morte de Juliet destruiu o rapaz psicologicamente. O ator Josh Holloway se mostra cada vez mais competente, transformando Sawyer num personagem circular. Parece que ele não tá mais nem aí para a Ilha e para os outros Losties. Quando ele fala “Claro que ele [sayid] está vivo! Ele torturou e matou crianças, merece estar vivo” percebemos toda a sua ira e revolta.

Ele, então, decide fugir do templo e vagar sozinho pela ilha. Quem vocês acham que vai atrás de Sawyer? Óbvio, a Kate.

O que ela pretende? Será que ela vai atrás do Sawyer por algum sentimento egoísta? Eu acho que ela de fato gosta dele e ainda se sentiu preocupada com a possibilidade dele se matar.

A conversa de Kate com Sawyer no pier é o melhor momento do episódio para mim. Sawyer assume a sua culpa e Kate percebe que provavelmente perdeu ele para sempre. Lost é um excelente seriado, pois além de trabalhar muito bem com ação, mistérios e reviravoltas, ele sabe criar e cuidar muito bem de seus personagens.

E quanto ao Sayid, Jack, Hurley e Miles no templo? É, aí que está o mistério. O líder dos outros finalmente revela o seu nome, é Dongen. Ele se mostra extremamente preocupado com a situação do Sayid e até pede ajuda para o Jack. Antigamente, Jack ia negar e jamais acreditaria nas palavras de Dogen. Afinal, ele é um homem da ciência. Mas algo está mudado em Jack e isso fica evidente aqui.

Segundo o japa, Sayid está infectado. Mas não é uma infecção comum. É algo mais sobrenatural. Seria Jacob? Seria o HOMEM de PRETO? Quem está tomando o corpo de Sayid?

Quase tão misterioso que isso é o surgimento de Claire no final do episódio. Parece que ela ficou na floresta por todo esse tempo e que foi “tomada” por algo ou alguén. Vamos descobrir mais sobre ela logo logo.

FLASH-SIDEWAY
Aqui temos a Kate fazendo o que sabe: fugir. Ela recebe ajuda de um desconhecido para tirar as algêmas e acaba se encontrando com Claire. Não só se encontra com ela, mas a leva a hospital pois as contrações da Claire iniciam-se.

No hospital, o obstreta que vai cuidar de Claire não é ninguém mais, ninguém menos do que Ethan. Aquele mesmo. Só que é um Ethan diferente. Ele é um médico atencioso, simpático, realmente cria uma empatia bacana com Claire.

Acho genial esa ideia da realidade paralela. Além de podermos ver o que os Losties fariam caso o avião não caisse, existem certas pistas e certos deja vu de que eles estão conectados com a outra realidade. Percebam o olhar que Kate dá para Claire no momento em que está diz que vai chamar o bebê de Aaron. Me deu arrepios.

Falando em bebê de Claire, uma coisa que eu curti muito no início da série foi a visita que Claire fez ao vidente. Lembram a preocupação que ele demonstrou para com o bebe, dizendo para ela não dar a criança para ninguém? Eis um mistério que nunca foi respondido. Por que diabos ele é tão importante? Creio que não teremos respostas para isso, infelizmente.

Então, como vocês viram a trama não avançou muito, mas adorei o episódio.

– Por B. Knott