As Melhores Músicas de 2012

Mais um registro pessoal do que qualquer outra coisa. Foi difícil selecionar apenas 20 músicas em um ano cheio de coisas boas. Para quem quiser, eis aqui um PLAYLIST com essas que considerei as melhores do ano:

1 Trust – Sulk
Wild Nothing – Shadow
The Killers – Runaways
4 Kendrick Lamar – Bitch, Don’t Kill My Vibe
Dinosaur Jr. – Almost Fare
Muse – Madness
Hot Chip – Motion Sickness
Frank Ocean – Lost
Fun. – We Are Young
10 Mumford & Sons – Not With Haste
11 The Walkmen – Heaven
12 The All-American Rejects – Kids in the Street
13 The Cribs – Uptight
14 The Vaccines – No Hope
15 Matthew Dear – Her Fantasy
16 Cloud Nothings – Stay Useless
17 The Shins – It’s Only Life
18 Chromatics – Kill For Love
19 Beach House – Lazuli
20 Woods – Cali in a Cup

Surfer Blood – Astro Coast

Astro Coast by Surfer Blood

Disco: Astro Coast
Banda: Surfer Blood
Ano de Lançamento: 2010

Sabe aquele sentimento de descobrir algo novo? Uma música diferente, um filme inovador… É bom, né? E aquele sentimento de ver um filme antigo que você adora ou ouvir seu disco favorito? Nostalgia é bom, também, não? O que dizer, então, quando conseguimos juntar as duas coisas?

Essa é minha sensação ao ouvir esse disco. É fácil encontrar o “som” de outras bandas mais nostálgicas aqui. Weezer, Built to Spill… A influência do indie rock dos anos 90 é evidente. Um indie rock de guitarra. A proeminência dos riffs, uma mistura de rock ‘n roll com as raízes do rock e… Garagem.

Mesmo assim, o Surfer Blood consegue ser moderno. Boas atmosferas no teclado complementando a guitarra, batidas diferentes -no melhor estilo Vampire Weekend -, cheguei até a achar que estava ouvindo We Are Scientists, durante uma música.

Obviamente, o disco tem defeitos. As “baladinhas” não se sustentam muito bem. Os vocais são muito carregados nos efeitos. E isso demonstra certa imaturidade da banda, tanto nos vocais como nos arranjos.

De qualquer maneira, essa imaturidade chega até como uma boa notícia. Talvez, isso signifique que podemos esperar que o quinteto da Flórida melhore. Afinal, é o disco de estreia deles. Imagino que seu som ficará ainda melhor e que tenhamos discos ainda mais gostosos de se ouvir no futuro.

Nota: 8

Música obrigatória (37ª melhor de 2009, segundo a Pitchfork): Swim
Minha preferida: Fast Jabroni

/F. M, AB

Música da Semana: Bob Dylan – Changing Of The Guards

Bob Dylan

Na ativa desde 1959, Bob Dylan é um cara que dispensa comentários. Ele é um dos nomes mais conhecidos e influentes do mundo da música. A sonoridade de Bob Dylan transita pelos mais diversos estilos, do folk ao rock, do blues ao country e assim por diante. Aliás, essas várias facetas dele foram exploradas de maneira interessante no filme “Não Estou Lá“. A vasta carreira do cantor nos proporciona uma infinidade de obras-primas, uma delas é essa que disponibilizo aqui.

Changing Of The Guards (do álbum Street Legal – 1978)

Sixteen years
Sixteen banners united over the field
Where the good shepherd grieves
Desperate men, desperate women divided
Spreading their wings ’neath the falling leaves

Fortune calls
I stepped forth from the shadows, to the marketplace
Merchants and thieves, hungry for power, my last deal gone down
She’s smelling sweet like the meadows where she was born
On midsummer’s eve, near the tower

The cold-blooded moon
The captain waits above the celebration
Sending his thoughts to a beloved maid
Whose ebony face is beyond communication
The captain is down but still believing that his love will be repaid

They shaved her head
She was torn between Jupiter and Apollo
A messenger arrived with a black nightingale
I seen her on the stairs and I couldn’t help but follow
Follow her down past the fountain where they lifted her veil

I stumbled to my feet
I rode past destruction in the ditches
With the stitches still mending ’neath a heart-shaped tattoo
Renegade priests and treacherous young witches
Were handing out the flowers that I’d given to you

The palace of mirrors
Where dog soldiers are reflected
The endless road and the wailing of chimes
The empty rooms where her memory is protected
Where the angels’ voices whisper to the souls of previous times

She wakes him up
Forty-eight hours later, the sun is breaking
Near broken chains, mountain laurel and rolling rocks
She’s begging to know what measures he now will be taking
He’s pulling her down and she’s clutching on to his long golden locks

Gentlemen, he said
I don’t need your organization, I’ve shined your shoes
I’ve moved your mountains and marked your cards
But Eden is burning, either brace yourself for elimination
Or else your hearts must have the courage for the changing of the guards

Peace will come
With tranquillity and splendor on the wheels of fire
But will bring us no reward when her false idols fall
And cruel death surrenders with its pale ghost retreating
Between the King and the Queen of Swords

/ bob dylan