Crítica: Capitão Phillips (2013)

930353 - Captain PhillipsCapitão Phillips mostra a história real de um capitão de um navio cargueiro sequestrado por piratas somalianos. O diretor Paul Greengrass constrói uma atmosfera de tensão quase insuportável com sua câmera tremida e com a ajuda de uma edição eficiente e uma trilha sonora mais do que apropriada. Greengrass domina cada sequência com uma perfeição pouco vista no cinema atual. O filme também acerta ao não demonizar os somalianos, o que aumenta ainda mais o cunho emocional das cenas intensas entre o capitão Phillips e Muse, como quando este diz que talvez nos Estados Unidos exista outra maneira de ganhar dinheiro, ao invés de roubar. E ainda temos a atuação impecável de Tom Hanks. O que ele faz aqui é só para atores do primeiro escalão, ajudando a tornar Capitão Phillips uma das melhores experiências do cinema em 2013. Eis uma história forte, inteligente e angustiante. Ficamos completamente imersos nessa situação durante os 140 minutos. Pergunto: é possível esperar mais do que isso de um filme?
10/10

Zona Verde

Título original: Green Zone
Ano: 2010
Diretor: Paul Greengrass

Roy Miller é um soldado que tenta fazer as coisas de maneira correta em meio a Guerra do Iraque. Ele e seus comandados seguem pistas em busca de armas de destruição em massa. O problema é que sempre que chegam aos locais, não encontram nada mais do que privadas ou algo do tipo. Roy Miller questiona seus superiores a respeito das fontes dessas informações. Ele sente que há algo de errado no ar e decide ir fundo na toca do coelho. Uma decisão repleta de riscos.

Paul Greengrass é um diretor que não se contenta apenas com a ação. Seus filmes sempre aspectos políticos e conspiratórios. Zona Verde é um verdadeiro thriller de guerra, com uma história razoavelmente complexa, que exige um certo grau de atenção do público. O filme quer mostrar algo que todos sabemos: as tais armas de destruição em massa eram apenas uma desculpa para os EUA invadir o Iraque e fazer o que bem entendessem. O diretor nos coloca dentro daquele caos ao utilizar seu estilo quase documental de filmar. As interpretações de Matt Damon e Khalid Abdalla também merecem destaque. Tudo parece bem real.

Apesar das cenas de ação serem filmadas com a competencia habitual, não posso negar que em alguns momentos elas me pareceram um tanto longas e confusas. Isso não atrapalha o filme como um todo, mas é uma falha que poderia ser corrigida sem muito trabalho. Enfim, Zona Verde é um bom filme de guerra, com um lado político intrigante, mas que fica um pouco empalidecido após algo do nível de Guerra ao Terror.

Nota: 7