Meridiano de Sangue ou O rubor crepuscular no Oeste

Autor: Cormac McCarthy
Ano: 1985

Nah, isso não tem nada a ver com a saga Crepúsculo, apesar do nome. Este livro acaba de ser lançado no Brasil e é o Cormac em grande forma. Gostei muito de ler A Estrada e Onde os Velhos Não Tem Vez e com Meridiano de Sangue a experiência foi igualmente gratificante e singular. Confesso que demorei algumas páginas para entrar na história, mesmo já conhecendo o estilo peculiar do escritor. Não desista e será recompensado. Aos poucos me senti fazendo parte daquele Oeste sangrento, quente, mortal e fascinante. Em A Estrada, Cormac nos mostrou o fim do mundo e aqui ele nos apresenta a um país que ainda estava engatinhando. Qual o mais violento? Difícil dizer. Acompanhamos o Kid durante a maior parte das páginas e o que ele faz é escalpelar índios para ganhar uma grana. Sobra sangue. Cormac não tem medo de descrever assassinatos de crianças, bebes e até de cachorros. Ele quer nos mostrar que aquele ambiente é barra-pesada e para sobreviver você não pode hesitar nunca. Sobra espaço também para algumas reflexões e filosofias relacionadas à guerra e aos homens como um todo. É um livro difícil, pesado, mas que vai fazer você chegar na última página e dizer: PUTAQUEPARIU.


– por B. Knott