Star Wars VI – O Retorno de Jedi (1983)


NOTA: 7

Apesar de contar com a cena que considero a mais intensa e marcante de toda a saga, não posso negar que O Retorno de Jedi é um filme irregular. A cena que falo é o momento em que Darth Vader lembra-se de seu passado no lado bom da força e decide ajudar Luke. Não há absolutamente nada no resto do filme com a metade da intensidade e qualidade dessa cena.

Muito tempo é perdido com as sequências bobinhas envolvendo os Ewoks, que convenhamos, são personagens desnecessários. Tinha tanta coisa que poderia ser melhor explorada, como a empolgante escapada de Han Solo de Jabba e o confronto com Boba Fett. Claro que essas cenas são ótimas como são, mas havia potencial para deixa-las ainda melhores. Um dos maiores problemas da trilogia clássica reside nas atuações de Mark Hamill. Mesmo que aqui ele esteja um pouco melhor do que nos filmes anteriores, é notável a limitação do ator. Claro que devemos levar em conta o roteiro que possui alguns diálogos pouco criativos e piegas, mas que Hamill é fraco não dá para se discutir.

Mesmo com esses pequenos problemas, O Retorno de Jedi é um ótimo desfecho para Star Wars. Em termos de ação e efeitos especiais ele é o mais competente da trilogia clássica e isso fica evidenciado nos diversos combates e batalhas ao longo do filme. Além disso, é impossível não se arrepiar com o conflito interno vivido por Darth Vader quando vê seu filho Luke sendo surrado por Darth Sidious. É óbvio que no fim tudo acaba bem e ver Yoda, Anakin e Obi-Wan juntos traz um ar nostálgico e sempre me deixa com vontade de rever os filmes num futuro próximo.

Título original: Star Wars: Episode VI – Return of the Jedi
Ano: 1983
País: EUA
Direção: Richard Marquand
Roteiro: Lawrence Kasdan, George Lucas
Duração: 134 minutos
Elenco: Mark Hamill, Harrison Ford, Carrie Fisher, Frank Oz, Billy Dee Williams, Alec Guinness, Anthony Daniels, Peter Mayhew, David Prowse, James Earl Jones, Ian McDiarmid

/bruno knott

Star Wars V – O Império Contra-Ataca (1980)


Nota: 9

Apesar do início que desperdiça um tempo razoável com cenas de ação repetitivas e não evolui muito na trama, Império Contra-Ataca tem acontecimentos suficientes para ser considerado o provável melhor filme de toda a saga. São uns 40 minutos de batalhas relativamente empolgantes, mas que acabam enjoando rapidamente. O filme realmente começa quando Luke vai até o planeta Dagoba para ser treinado por Yoda e quando Han Solo, Leia, Chewie e C3P-O buscam refúgio em um planeta comandado por Lando Calrissan, um sujeito imprevisível.

Yoda é um espetáculo à parte. Todas as suas características o ajudam a ganhar o respeito e admiração de todos os fãs de Star Wars. Ele é velhinho, fala de um jeito engraçado, tem voz marcante, sabedoria e carisma. O treinamento de Luke é complicado, já que o aprendiz se mostra extremamente impaciente, mas Yoda aos poucos consegue administrar a situação. O roteiro do filme esconde na sua aparente simplicidade um meio de explicar melhor o que é a Força, o Lado Negro e o passado dos personagens mais importantes.

Tudo converge pra o tão esperado clímax. Han Solo e os outros passam por dificuldades extremas e Luke consegue sentir isso através da Força. Ele quer resgata-los de qualquer maneira, mesmo se tiver que enfrentar o temido Lord Vader. O diretor Irvin Kershner conduz o embate entre Darth Vader e Luke de maneira espetacular. É uma das sequências mais emblemáticas de Star Wars. A descarga de adrenalina é imensa e culmina com uma das maiores revelações do cinema. A frase: “Não. Eu sou o seu pai” causou grande comoção nas sessões de cinema dos anos 80 e continua extremamente significativa. O público teve que aguardar 3 anos para a continuação da história, o que deve ter sido difícil. Ainda bem que tenho o DVD de O Retorno de Jedi a poucos centímetros de minhas mãos.


Título original: Star Wars: Episode V – The Empire Strikes Back
Ano: 1980
País: EUA
Direção: Irvin Kershner
Roteiro: Leigh Brackett, Lawrence Kasdan
Duração: 124 minutos
Elenco: Mark Hamill, Harrison Ford, Carrie Fisher, Frank Oz, Billy Dee Williams, Alec Guinness, Anthony Daniels, Peter Mayhew, David Prowse, James Earl Jones

/bruno knott

Star Wars IV – Uma Nova Esperança (1977)



Nota: 8

Mesmo após 30 anos ainda é possível se encantar com Star Wars, ainda mais se o seu primeiro contato com ele foi na infância. A nostalgia é inevitável. Os efeitos especiais podem ser ultrapassados, mas ainda são eficientes e junto com a competente direção de George Lucas, temos um filme extremamente ágil e empolgante. Este episódio IV é o ínicio de tudo. O ponto de partida de algo que marcou uma geração. A minha sugestão é esquecer seus problemas e obrigações por duas horas e entrar nesse mundo fantástico. É recompensador, para dizer o mínimo.

O roteiro é excelente na sua aparente simplicidade. Aos poucos vamos descobrindo coisas sobre o Império, sobre os rebeldes e também sobre um grupo de pessoas que está praticamente extinto, os jedis. Obi Wan Kenobi, um dos antigos jedis, sente que a força é forte dentro de um garoto chamado Luke Skywalker. Os dois precisam ir até a Estrela da Morte para resgatar a Princesa Leia e para isso vão precisar da ajuda de Han Solo, Chewbacca, C-3PO e R2-D2. Pronto, a famosa trupe está formada, para nosso deleite.

O filme é uma sucessão de cenas marcantes, que automaticamente tornaram-se clássicas, por exemplo:  toda a sequência em Mos Eiley, com aquela banda pra lá de excêntrica formada por ETS dançantes que tocam uma música bizarramente viciante e claro a apresentação de Han Solo e Chewbacca. Também tem aquela em que eles ficam presos no depósito de lixo, a luta entre Darth Vader e Obi Wan Kenobi e várias outras.

Darth Vader! Tudo que cerca esse personagem é interessante, ainda mais quando já sabemos do seu passado, que foi mostrado na nova trilogia. É bom assistir ao filme já sabendo dos segredos importantes da saga, assim conseguimos perceber algumas dicas, como quando Darth Vader de maneira sutil hesita em matar a Princesa Leia.  Enfim, mesmo não tendo diálogos maravilhosos e soar meio piegas em alguns momentos, é um clássico que ainda diverte e vai continuar divertindo por muito tempo.

Título original: Star Wars
Ano: 1977
País: EUA
Direção: George Lucas
Roteiro: George Lucas
Duração: 121 minutos
Elenco: Mark Hamill, Harrison Ford, Carrie Fisher, Peter Cushing, Alec Guinness, Anthony Daniels, Peter Mayhew, David Prowse, James Earl Jones

– E aí… Qual filme da saga vocês amam e qual odeiam? Personagens preferidos? Cenas mais marcantes??? Pretendo comentar os 6 filmes, mas quero saber a opinião de vocês desde já!

/bruno knott