Os Melhores Filmes de Zumbis

Antes de tudo, devo enfatizar que se o episódio piloto de The Walking Dead fosse considerado um filme, estaria no topo desta lista.

1 Dawn of the Dead (George A. Romero, 1978)

Conhecido no Brasil como O Despertar dos Mortos, o filme conta com críticas sociais, bastante violência, gore e até humor. Apesar de tecnicamente datado, ele tem uma atmosfera tensa e um ar de aventura inesquecíveis. É George Romero na sua melhor forma.

2 Extermínio (Danny Boyle, 2002)

Extermínio nos apresenta a zumbis mais espertos e rápidos, portanto, mais perigosos. Apesar de ser um filme de zumbis, o mais importante é como os personagens humanos reagem emocionalmente a situação. Apesar da temática absurda, existe um ar realístico na direção de Danny Boyle, tornando a experiência ainda mais interessante. O diretor também é feliz ao captar momentos extremamente belos em um mundo caótico, como quando vemos uma família de cavalos trotando despreocupadamente pelos campos.

3 A Noite dos Mortos Vivos (George A. Romero, 1968)

Clássico absoluto do gênero, A Noite dos Mortos Vivos é capaz de assustar ainda hoje. A ideia de um grupo de pessoas fugindo de alguma ameaça escondido dentro de uma casa já foi explorada inúmeras vezes, mas não tão bem como aqui. Tudo neste filme definidor do gênero funciona e ele ainda conta um final brutal e inesperado.

 A Volta dos Mortos Vivos (Dan O’Bannon, 1985)

É uma mistura perfeita de comédia e terror, pena que não é tão lembrado como os trabalhos de George Romero. Muito bem dirigido por Dan O’Bannon, que tem no seu currículo o roteiro de Alien, o filme conta com bons momentos intimistas, algo possível graças ao bom elenco.

5 Todo Mundo Quase Morto (Edgar Wright, 2004)

Shaun of the Dead injetou sangue novo em um gênero que parecia não ter mais o que oferecer. Ele faz referências a vários filmes de zumbis, mas tem vida própria. A sátira social aqui é enorme, garantindo boas risadas. Do meio para o fim a ação toma conta, mas sem perder o humor.

Zumbilândia (Ruben Fleischer, 2009)

As primeiras cenas, com bastante rock ‘n roll e câmera lenta, mostram as melhores cenas de ataques de zumbis. Não há suspense aqui, mas sim bastante ação, humor e a criativa lista de como sobreviver em um mundo repleto de zumbis. Para completar, temos a presença de Bill Murray interpretando ele mesmo de maneira genial.

7 Dia dos Mortos (George A. Romero, 1985)

Não tão bom como Dawn of the Dead ou A Noite dos Mortos Vivos, este filme se destaca pelas tentativas dos personagens humanos de entender os zumbis e também pelo zumbi inteligente Bub. Isso sem falar na sensação de desespero que o filme transmite, afinal os zumbis são maioria.

8 Extermínio 2 (Juan Carlos Fresnadillo, 2007)

Uma continuação extremamente competente, mesmo com outro diretor. Não existe zumbis mais violentos e ameaçadores do que os que são retratados aqui. A incrível sequência inicial é prova disso. Extermínio 2 tem uma atmosfera de urgência que nunca perde a força, além de um final angustiante.

9 Planeta Terror (Robert Rodriguez, 2007)

Planeta Terror nada mais é do que um trash estilizado e sangrento de Robert Rodriguez. Se você entrar na brincadeira não tem como se decepcionar. A quantidade de cenas hilárias é enorme, sendo um dos destaques aquela envolvendo o personagem de Quentin Tarantino e o problema que ele enfrenta nos órgãos genitais. Roteiro bem bobo, mas os litros de sangue compensam.

10 Zumbi 2 – A Volta dos Mortos (Lucio Fulci, 1979)

Lucio Fulci jamais economiza no gore e aqui está uma prova. Zumbi 2 tem várias cenas bem criativas de mortes causadas por zumbis. Uma delas é um duelo entre um zumbi e um tubarão, que já vale o filme inteiro só pela bizarrice. As atuações são um tanto exageradas, mas o filme agrada na maior parte do tempo e existe todo um ar de diversão violenta e descompromissada difícil de se encontrar por aí.

Outros filmes que eu curto: A Madrugada dos Mortos, Terra dos Mortos, Dead Snow, Fome Animal, Fido, Dance of the Dead, Diário dos Mortos e Deadgirl. Não considero [REC] um filme de zumbis, afinal na continuação ficamos sabendo que aqueles seres são demônios e não zumbis.

E você? Qual o seu filme de zumbi preferido e por que?

/curta a fanpage do cultura intratecal, se aprouver…

Filmes de Zumbis: Extermínio (2002)

Danny Boyle  se utiliza da câmera digital para aproximar Extermínio de uma experiência mais realista possível. Ele também demonstra qualidade ao modificar a atmosfera do filme de acordo com as situações: o começo angustiante em que Jim se descobre só em uma Londres destruída, cenas que exploram o silêncio e o resto de beleza ainda intocada e a vingança sangrenta que se apossa do mesmo Jim nas cenas finais.

Em vez de se concentrar nos zumbis, o roteiro investe no sentimento dos sobreviventes em relação a esta angustiante nova realidade. Em alguns momentos a abordagem de Danny Boyle se aproxima da poesia, como quando Jim aproveita o vento em uma viagem de carro ou quando eles se emocionam ao contemplar uma família de cavalos trotando sem maiores preocupações. Mas não se enganem. Fica bem claro que os sobreviventes não estão seguros em momento algum. Qualquer atitude precipitada pode se transformar em mais uma morte violenta.

Extermínio ainda faz críticas contundentes à natureza humana, que às vezes se mostra mais irracional que zumbis sedentos de sangue. É um dos filmes mais ambiciosos do gênero e não merece ser esquecido.

NOTA: 9 /10

Crítica: 127 Horas (2010)


O aventureiro Aron Ralston (James Franco) pega seu carro e dirige para fora da cidade, indo em direção da natureza composta por Canyons e um clima árido. No caminho, ele fala para a própria câmera: Apenas eu, a noite e a música. Amo isso! Já podemos ter uma noção sobre o personagem. Danny Boyle filma os primeiros minutos do filme empregando muita energia, sempre acompanhado pela trilha sonora de A.R. Rahman. Ver Aron voando baixo com sua bicicleta em meio a uma paisagem tão bonita e se sentindo livre é um antagonismo gritante com o que vem a seguir.

O filme é baseado em uma história real. Ele mostra como Aron ficou com o braço preso em uma enorme rocha, no meio de uma fenda. Com a quantidade de água que ele tem, restam apenas 127 horas de vida. E é isso. O que poderia ser algo cansativo, torna-se uma experiência memorável nas mãos de Danny Boyle. Com um excelente trabalho de fotografia e, claro, uma atuação soberba de James Franco, nos colocamos no lugar do personagem e compartilhamos todos os sentimentos e aflições dele.

James Franco poderia ter desandado para um overacting, mas ele soube muito bem o que fazer. Durante o tempo que fica com o braço preso, Aron relembra certos aspectos da vida que poderia ter feito diferente e pensa sobre alguns erros que cometeu, como não dizer para onde ia e esquecer uma garrafa de gatorade no carro. O monólogo em que ele cria um tipo de talk show para se manter são é uma das grandes cenas do ano. Apesar do clímax gráfico e macabro, 127 Horas é um filme que afirma a vida a todo custo. A superação de Aron Ralston pode servir como motivação para vencermos nossos próprios problemas, que esperamos que não sejam tão complicados como o dele foi.

Título original: 127 Hours
Ano: 2010
País: USA / UK
Direção: Danny Boyle
Roteiro: Danny Boyle, Simon Beaufoy
Duração: 94 minutos
Elenco: James Franco, Kate Mara, Amber Tamblyn

/ 127 horas (2010) –
bruno knott,
sempre.

* Fui presenteado com um selo pela Amanda, do blog CinePipocaCult, fato que me ajuda a manter a motivação de ter um blog sobre cinema. Obrigado.

Nome: Bruno Knott
Uma música: Edmonton (Rural Alberta Advantage).
Humor: Autodepreciativo.
Estação: Carandiru.
Como prefere viajar: THC.
Um seriado: Six Feet Under.
Uma frase dita por você: Quero a capacidade de fugir do óbvio.
O que achou do selo: Sinto-me honrado por ter recebido e feliz por indicar esses ÓTIMOS blogs:

O Brado Retumbante

By Star Filmes

Fred Burle no Cinema

Pós.Première

Cine Capsulas