Lost 1×10 – Raised by Another

claire-raised-by-another

Por mais que Raised by Another não seja um dos destaques da primeira temporada, não dá para negar que ele possui aspectos interessantes, começando pelo flashback de Claire. Nele vemos como a moça foi vítima do namorado covarde que a abandonou assim que sentiu a responsabilidade de ser pai chegando. Desesperada, Claire se consulta com o médium Richard Malkin tendo em mente a ideia de colocar a criança para adoção. Richard faz um alerta de que ela, e apenas ela, deve cuidar da criança. Por muito tempo isso ficou na minha cabeça: por que diabos ela não poderia dar o filho? O médium diz conhecer um casal confiável em LA para receber a criança, mas que Claire precisa pegar especificamente o voo 815 da Oceanic... bem, o resto a gente já sabe, não é?
Na ilha, Claire está convicta de ter sido vítima de um ataque, mas Jack e os outros acreditam que ela está vendo coisas devido ao stress. Charlie se coloca totalmente a disposição da garota. Percebemos que o rapaz está realmente interessado nela, ao contrário de Claire, que se mostra pouco comovida com isso. Ao menos parece que uma amizade está se formando.
Hurley tem mais uma bela ideia ao iniciar um censo. O trabalho dele é facilitado quando consegue colocar as mãos na lista dos passageiros, só que isso o faz perceber que existe uma pessoa a mais na ilha: Ethan.
Já havíamos conhecido Rousseau, uma personagem que era menos perigosa do que parecia, agora Ethan é outra história. Na última cena ele encara Claire e Charlie de uma maneira nada amistosa. Foi um ótimo e sinistro  cliffhanger para o episódio seguinte.
8/10

Lost S06E06 Sundown

Lost 6×06
Infelizmente, estou sem tempo para fazer posts sobre Lost do jeito que eu queria, mas tô a fim de tecer alguns comentários sobre esse belo episódio. É um episódio do Sayid e isso quase sempre significa qualidade. Ele é um dos melhores personagens de Lost, talvez por ser o mais circular de todos. É possível um cara que tortura e mata ser essencialmente bom? Sayid tem a resposta para isso.

Sundown apresentou o flash-sideways mais fraco até o momento, por ser um tanto repetitivo em seu tema. Sayid não pode ficar junto de Nadia, pois ela é casada com o seu irmão. É mais uma vez o destino mostrando que algumas coisas não podem ser mudadas. Mais uma vez Sayid fala que não quer matar ninguém, mas algumas situações o obrigam a agir dessa forma.

Agora, dentro da ilha temos um turbilhão de coisas acontecendo. Dogen convence Sayid a matar Flocke. Claro, o ato não sai como o esperado e Flocke utiliza o seu poder de convencimento para atrair Sayid para o seu lado. Sayid se transforma numa maquína mortífera, assustando até mesmo Ben, que sempre foi o mestre do persuassão. Vejam o sorriso maligno na foto acima!

Kate fala para Claire que está com Aaron e por um momento eu achei que Claire pularia no pescoço de Kate e a mataria. Ela não fez isso, mas os olhos da loira indicavam que essa era a sua vontade.

As coisas estão bem divididas agora. Um grupo com o Flocke, representando as peças negras de um jogo de gamão e um grupo de Jacob, representado as peças brancas. Mas, será que o lado negro de fato é o lado mal? Será que Jacob não é apenas um masoquista que queriam se divertir com as pessoas e suas emoções? Faltam 10 episódios para o fim de Lost e as coisas esquentaram de um jeito fantástico.

O próximo episódio terá Ben como personagem principal. Tá na hora dele voltar a ser o Ben de antigamente.

Nota: 8

Lost S06E03 What Kate Does

E ae pessoal! Temos aqui mais um review de Lost para vocês. Este post marca o padrão que os reviews de Lost vão ter aqui no Cultura Intratecal. Espero que gostem. Spoilers só depois da foto! Confiram.

IMPRESSÕES GERAIS
Muitas pessoas vão torcer o nariz para este episódio e eu até entendo os motivos, apesar de não concordar muito. Como diz o título, a história está centrada na Kate e quem não é muito fã da moça e das suas atitudes talvez se decepcione. Não temos aqui um episódio frenético, cheio de ação e empolgante. Não. O que temos aqui é um episódio mais intimista, principalmente nas cenas em que vemos Kate e Sawyer tendo uma triste conversa e no flash-sideway da Kate em LA. Sobra espaço para o desenvolvimento da história da ilha, ainda que de maneira homeopática. O pessoal do templo começa a mostrar quem de fato eles são e o que eles pretendem fazer com Sayid. E como Lost é Lost, há uma interessante surpresa no final, envolvendo um personagem “desaparecido”.
Nota: 7

NA ILHA
Tudo começa com o Sayid voltando do mundo dos mortos. O que de fato aconteceu com ele? Como alguém que morre pode ressucitar dessa forma? Se você está curioso quanto a isso e espera uma resposta completa neste episódio, não vai encontrar. Pistas são deixadas, mas ainda não é o suficiente.

Sawyer está bem diferente. A morte de Juliet destruiu o rapaz psicologicamente. O ator Josh Holloway se mostra cada vez mais competente, transformando Sawyer num personagem circular. Parece que ele não tá mais nem aí para a Ilha e para os outros Losties. Quando ele fala “Claro que ele [sayid] está vivo! Ele torturou e matou crianças, merece estar vivo” percebemos toda a sua ira e revolta.

Ele, então, decide fugir do templo e vagar sozinho pela ilha. Quem vocês acham que vai atrás de Sawyer? Óbvio, a Kate.

O que ela pretende? Será que ela vai atrás do Sawyer por algum sentimento egoísta? Eu acho que ela de fato gosta dele e ainda se sentiu preocupada com a possibilidade dele se matar.

A conversa de Kate com Sawyer no pier é o melhor momento do episódio para mim. Sawyer assume a sua culpa e Kate percebe que provavelmente perdeu ele para sempre. Lost é um excelente seriado, pois além de trabalhar muito bem com ação, mistérios e reviravoltas, ele sabe criar e cuidar muito bem de seus personagens.

E quanto ao Sayid, Jack, Hurley e Miles no templo? É, aí que está o mistério. O líder dos outros finalmente revela o seu nome, é Dongen. Ele se mostra extremamente preocupado com a situação do Sayid e até pede ajuda para o Jack. Antigamente, Jack ia negar e jamais acreditaria nas palavras de Dogen. Afinal, ele é um homem da ciência. Mas algo está mudado em Jack e isso fica evidente aqui.

Segundo o japa, Sayid está infectado. Mas não é uma infecção comum. É algo mais sobrenatural. Seria Jacob? Seria o HOMEM de PRETO? Quem está tomando o corpo de Sayid?

Quase tão misterioso que isso é o surgimento de Claire no final do episódio. Parece que ela ficou na floresta por todo esse tempo e que foi “tomada” por algo ou alguén. Vamos descobrir mais sobre ela logo logo.

FLASH-SIDEWAY
Aqui temos a Kate fazendo o que sabe: fugir. Ela recebe ajuda de um desconhecido para tirar as algêmas e acaba se encontrando com Claire. Não só se encontra com ela, mas a leva a hospital pois as contrações da Claire iniciam-se.

No hospital, o obstreta que vai cuidar de Claire não é ninguém mais, ninguém menos do que Ethan. Aquele mesmo. Só que é um Ethan diferente. Ele é um médico atencioso, simpático, realmente cria uma empatia bacana com Claire.

Acho genial esa ideia da realidade paralela. Além de podermos ver o que os Losties fariam caso o avião não caisse, existem certas pistas e certos deja vu de que eles estão conectados com a outra realidade. Percebam o olhar que Kate dá para Claire no momento em que está diz que vai chamar o bebê de Aaron. Me deu arrepios.

Falando em bebê de Claire, uma coisa que eu curti muito no início da série foi a visita que Claire fez ao vidente. Lembram a preocupação que ele demonstrou para com o bebe, dizendo para ela não dar a criança para ninguém? Eis um mistério que nunca foi respondido. Por que diabos ele é tão importante? Creio que não teremos respostas para isso, infelizmente.

Então, como vocês viram a trama não avançou muito, mas adorei o episódio.

– Por B. Knott