Gomorra

Título original: Gomorra
Ano: 2008
Diretor: Matteo Garrone

Já vi Gomorrah tentar ser vendido como um Cidade de Deus italiano e lamento. Ambos os filmes retratam duas cidades que estão mergulhadas no crime, mas esta é a única semelhança. As abordagens são completamente diferentes, tanto em termos técnicos, como na maneira que as histórias são contadas. O filme é baseado no livro de Roberto Saviano, que foi corajoso (ou louco?) para escrever sobre a camorra, a máfia de Napoles, no sul da Itália.

Acompanhamos 5 histórias diferentes que se relacionam com o crime organizado de Nápoles das mais variadas formas. Há um menino, Totó, que pretende fazer parte do grupo. Temos dois jovens ingênuos e fãs de Scarface que querem dominar a região. Um alfaiate que decide ganhar uma grana por fora trabalhando para os chineses. Um cara que lucra com o enterro de lixo tóxico e um outro que trabalha levando e trazendo dinheiro.

O detalhe interessante é que não há nenhum chefão na história. Nenhum Don Corleone ou algo assim. O filme desenvolve um painel do crime organizado de uma forma bem palpável. O filme transcorre de uma maneira interessante, mais calma que o normal para filmes desse tipo, o que nos permite sentir o filme e nos importar com os personagens.

Gomorra tem algumas cenas violentas, mas, o mais perturbador é constatar que Nápoles é uma cidade completamente consumida pelo crime, assim como grande parte das importantes cidades do mundo.

Nota: 4/5