A selva de pedra pode ser mais opressiva e brutal do que se imagina. É isso que Mateus e seus três colegas do interior sentem na pele quando deixam suas casas para tentar vencer na vida em São Paulo.

Eles chegam para trabalhar em um ferro velho chefiado por um homem rigoroso e que representa um perigo cada vez maior. Os jovens rapidamente percebem que estão ali para serem explorados e que suas vidas correm risco.

Eles se alimentam porcamente, dormem em colchões detonados, não tem permissão de tomar banho quando querem e são fortemente desencorajados a fugir graças a polícia corrupta que ameaça seus familiares e também pela presença de um capataz armado rondando a área.

Mateus aos poucos aceita a situação e decide trabalhar com afinco para pagar a suposta dívida e se livrar dali o quanto antes. Mas o fato é que ele cria um inusitado laço com o opressor Luca ao mesmo tempo em que passa a agir de forma ambígua.

Estaria Mateus se aproximando de Luca para surpreendê-lo com uma fuga ou ele está tomando gosto por liderar uma quadrilha?

7 Prisioneiros nos revela um Brasil triste e com poucas esperanças para os menos favorecidos. De maneira contundente e com ares de denuncia, o filme aborda temas revoltantes como escravidão moderna, tráfico de pessoas e corrupção em grande escala.

Existe um ar de thriller em meio a um estilo quase que documental de câmera na mão, adicionando um sentido de urgência em algumas sequências e um tom realista para a experiência como um todo.

A atuação bem natural de Christian Malheiros é essencial para vermos Mateus como um protagonista confiável que está vivendo um conflito com ele mesmo.

O roteiro mostra competência ao oferecer camadas ao personagem de Rodrigo Santoro, que inicialmente parece um vilão maniqueísta. Não é o caso. O filme consegue humanizá-lo na medida do possível, mas não de maneira tão eficiente como poderia se investisse mais tempo para desenvolvê-lo.

Temos aqui um ótimo filme nacional capaz de fazer sucesso ao redor do mundo por trabalhar com uma história forte, por apresentar personagens com dilemas pesados a resolver e por apostar em um desfecho de impacto.

Nota: 8