De todos os gêneros do cinema eu considero o terror um dos mais difíceis para se trabalhar. Quantos filmes você acha realmente assustadores? Talvez dê para contar nos dedos.

Portanto, faço questão de exaltar filmes capazes de me deixar com os batimentos um tanto acelerados. É o caso deste ótimo O Que Ficou Para Trás.

E mais do que realizar a complicada tarefa de nos deixar com medo, ele faz comentários sociais dos mais relevantes atualmente.

Um casal de refugiados africanos tenta iniciar uma nova vida em Londres. Eles precisam passar alguns dias morando em uma casa sem poder trabalhar. Passeios são desencorajados. Eles podem apenas sair para comprar comida e produtos básicos usando um auxílio do governo. É um processo de adaptação que será rigorosamente avaliado.

Logo nos primeiros dias na casa, Bol percebe que há algo de muito estranho por ali. E perigoso.

O diretor estreante Remi Weekes demonstra talento para o terror psicológico em O Que Ficou Para Trás. Utilizando os elementos certos na hora certa, ele cria uma atmosfera tensa. O suspense fica cada vez mais forte, culminando em momentos extremamente angustiantes.

Os chamados sustos fáceis também estão presentes, mas são bem elaborados e funcionam.

Bol e sua esposa Rial precisam enfrentar a casa e também claras demonstrações de xenofobia. O horror está por todos os lados, inclusive nos fantasmas do passado.

O Que Ficou Para Trás acerta em cheio na transição de gêneros. Ele é acima da média no terror e muito eficiente ao evidenciar a desesperada luta diária daqueles que perderam as esperanças de dias melhores em sua própria terra natal.

Prepare-se para simbolismos, alegorias e reviravoltas dolorosas. Eis uma mistura surpreendente de entretenimento e crítica social.

Nota: 81/100

***

O Que Ficou Para Trás 

Título Original: His House 
Ano: 2020
Direção: Remi Weekes
Elenco: Sope Dirisu, Wunmi Mosaku, Matt Smith
Roteiro: Remi Weekes, Felicity Evans (história)
Duração: 1h 33min
Onde assistir: Netflix
IMDb