Inspirando-se em filmes como Feitiço do Tempo e A Morte Te Dá Parabéns, Palm Springs investe em um loop temporal para contar uma envolvente história de amor. Essa revelação não é bem um spoiler, afinal logo no primeiro ato tomamos conhecimento disso.

Como viver o mesmo dia inúmeras vezes? Não sabemos ao certo quanto tempo Nyles está preso nesse loop, mas dá para imaginar que são meses ou até anos. Ele sabe exatamente o que cada convidado do casamento vai fazer e quando irá fazer. Ele se divertiu, se irritou e teve novas experiências. Eis que as coisas mudam quando Sarah também cai no mesmo loop e isso torna Palm Springs realmente especial.

Inicialmente, nos sentimos como Sarah completamente perdidos nessa situação. As reações da atriz Cristin Milioti são impagáveis. São vários os momentos hilários em que percebemos que o roteiro consegue explorar as possibilidades da história com maestria.

Mas nem só de humor se faz um loop no tempo. Essa é também uma oportunidade para refletir sobre as escolhas da vida e sobre o melhor caminho a se seguir.

Com um final aberto a interpretações, Palm Springs é uma lufada de ar fresco nesse momento complicado de pandemia em que vivemos. Essa é uma bela oportunidade para relaxar e com um sorriso no rosto ter 90 minutos de puro entretenimento.