Um dos motivos de Hamburger Hill não ser tão exaltado é o fato de ter sido lançado na mesma época dos magistrais Platoon e Nascido Para Matar.  De qualquer forma, trata-se de um competente e realista filme de guerra. Hamburger Hill acerta em cheio ao retratar os horrores físicos da Guerra do Vietnã. A mata fechada, a chuva torrencial, a lama, os inimigos que surgem do nada, os membros decepados e a exaustão mental estão todos presentes aqui. Conseguimos ter um vislumbre de quão violenta foi a guerra e mais especificamente essa batalha que realmente aconteceu. A colina entrou para a História com esse nome pois a maioria que tentava conquistá-la tinha o seu corpo perfurado por dezenas de balas. O mais cruel é que poucos dias depois de a conquistar o exército americano simplesmente abandonou o local. Esse é só um exemplo de quão absurda foi a Guerra do Vietnã. É uma pena que os diálogos que tentam estabelecer a pegada antibelicista do filme soem um tanto artificiais e não tenham tanto impacto. Apesar disso, Hamburger Hill se mantém uma obra relevante, crua, intensa e que serve como um registro acurado de toda a brutalidade de um conflito que não precisava ter acontecido.

Nota: 8