Game of Thrones | 2×02 – The Night Lands

Temos que nos acostumar com novos povos e novos personagens em Game of Thrones. Se você leu o livro deve saber que esse universo é gigantesco. A HBO está conseguindo introduzir as novidade com sabedoria.

Dessa vez quem entra em cena é Pyke e os homens de ferro. Theon esperava ser exaltado com pompa em seu retorno, mas teve uma recepção fria tanto do povo – que nem se importou – como do pai Balon. Theon está sem moral alguma.

As melhores sequências de The Night Lands envolveram Tyrion. Como não amar este renegado Lannister? As interações dele com Cersei são empolgantes. Os diálogos afiados e cheios de ironia entre os dois podem ao mesmo tempo nos fazer rir como nos deixar preocupados. Cersei passou do limite aqui.

Mas Tyrion é esperto. Sua inteligência não permite confiar na suposta honra dos outros. Ele não quer cometer os mesmos erros de Ned. Uma de suas primeiras condutas como o Mão do Rei foi mandar o escorregadio Janos Slynt para a Muralha. Como confiar em alguém que mata crianças sem questionar e que traiu o Mão anterior?

O detalhe é que Bronn parece que também cometeria tal monstruosidade se fosse bem pago. Será mesmo?

No quase infinito deserto do outro lado do mar estreito a provação de Daenerys continua. Ela e sua pequena comitiva parecem apenas esperar a morte.

O número de postulantes ao trono é cada vez maior. Stannis teoricamente é quem teria o direito de sucessão, mas para chegar ao almejado trono ele terá que ir para a batalha. O seu exército é menor do que os outros, mas ele tem a misteriosa Melisandre ao seu lado e além disso considera ser o escolhido do senhor da luz. Será que isso bastará?

Gendry em um momento hilário descobre que está ao lado de Arya Stark. Aliás, uma das virtudes deste episódio foram justamente os diálogos que se destacaram pelo humor. Mas é um humor diferente, mais requintado, com ironias e presença de espirito. Game of Thrones é assim.

Este episódio abordou vários núcleos e consequentemente não houve tempo hábil para aprofundar nenhum deles. Tivemos pouca ação e nada exatamente comovente, mas os ótimos diálogos compensaram. Ah. E vislumbrar um caminhante branco também foi um ponto alto. A última vez que vimos um desses foi na estreia do seriado. Particularmente, considero genial esse desenvolvimento mais lento de uma das partes mais importantes da trama.

Nota: 8.1