Game of Thrones: “The Kingsroad” Crítica

Game of Thrones | 1×02 – Kingsroad

Já havíamos sido informados de que os lobos gigantes crescem rápido, mas há qualquer coisa de estranha em relação a passagem do tempo nestes dois primeiros episódios. Simplesmente, não temos a sensação de que algumas semanas se passaram desde a queda de Bran. Trata-se de um leve descuido da edição que compromete pouco a qualidade do episódio.

Em Kingsroad as atitudes de certos personagens já evidenciam muito bem suas personalidades. As diferenças entre as irmãs Sansa e Arya são gritantes. Enquanto Sansa sonha com príncipes encantados e com as afazeres das mulheres da corte, Arya quer brandir uma espada e brincar com os seus amigos, inclusive com o simplório filho do açougueiro. Ver Arya brincando com o coitado do Mycah foi a perfeita situação para Joffrey revelar o pirralho mimado e petulante que ele é. Infelizmente, isso custou a vida de Mycah e de Lady, a loba de Sansa.

Ao fazer com que Lady fosse sacrificada, Cersei mostra sua capacidade de controlar as situações da maneira que lhe convém, visando sempre algo maior. Um lobo a menos significa um Stark mais exposto, não é? Pois os lobos gigantes podem ser extremamente protetores, como mostrou Verão, que não hesitou em buscar diretamente a jugular do assassino contratado para dar fim a Bran.

Caetelyn ligou os pontos e chegou a conclusão de que houve uma trama para Bran ser assassinado inicialmente. O difícil vai ser saber o que fazer com essa informação. Ir contra a família real poderá ter sérias consequências.

Falando em consequências, Jon Snow tomou a decisão mais importante da sua vida até o momento. Ele escolheu vestir o preto e fazer parte da patrulha da noite. Muitos o cumprimentam por escolher esse caminho honrado, mas talvez ele tenha refletido sobre onde estaria a honra em servir no meio de assassinos e estupradores. É uma escolha aparentemente sem volta.

Daenarys surpreende o pequeno monstro Khal Drogo dentro de quatro paredes e dá indícios de que pode ser mais forte do que imaginamos. E percebam como os ovos de dragão estão sempre próximos ao fogo.

Como vai ser recorrente no restante do seriado, Tyrion se destaca bastante. Ao desferir três belas bofetadas no aporrinhante Joffrey ele conquista boa parte do público. E ele ganhará ainda mais nossa simpatia com seus diálogos perspicazes.

O título kingsroad vem do caminho percorrido pela comitiva do rei de Winterfell até Porto Real. Uma viagem nada agradável, principalmente para os Stark e para o já saudoso filho do açougueiro. A partir de agora um adjetivo vai poder ser bem empregado para definir Game of Thrones: imprevisível.

Nota: 8.9

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s