a-gaiola-dourada

Se você está procurando por um filme leve, que mistura de maneira eficiente o humor e cenas com certa carga emocional, A Gaiola Dourada é uma opção muito interessante.

Somos apresentados a uma família de origem portuguesa que vive na França. José é um operário e Maria é zeladora no condomínio onde vivem. Ambos trabalham com prazer e ajudam os outros por serem naturalmente bons, mas o fato é que eles não recebem o reconhecimento que merecem, nem em termos financeiros, nem em agradecimentos.

Quando José recebe uma herança que o obrigaria a voltar a Portugal, as pessoas começam a agir de maneira diferente com o casal. São mimos cujo objetivo é fazê-los dispensar a herança e continuarem executando suas funções. São justamente essas cenas que proporcionam os melhores momentos de humor, como quando vemos a reação do patrão de José ao saber que seu filho está namorando a filha de José, por exemplo.

Algumas situações são um tanto mais emotivas, principalmente a sequência que o filho adolescente não diz que está diante de sua mãe e sim da zeladora do prédio para a namorada, com medo e vergonha de ser julgado por isso. O fado português é outro momento bem intenso.

A Gaiola Dourada convence ao retratar imigrantes portugueses que já se adaptaram ao novo país, mas que não negam suas raízes e que não estão completamente livres do preconceito. Diversão e um drama bem leve aqui. Só não consigo entender a desnecessária aparição de um jogador de futebol de Portugal, inclusive até atrapalhando o desfecho. Isso e a presença de alguns personagens caricaturais impedem uma nota um pouco maior.

Nota: 8