all-is-lost-movieAté o Fim está longe de ser um filme ruim, mas a maneira que o diretor escolheu para contar a história pode desagradar a alguns e causar um certo tédio. Temos aqui o relato de um homem que sofre um acidente em alto-mar. Com a parte eletrônica do iate estragada e o surgimento de diferentes dificuldades a cada dia, o homem tenta fazer o possível para se manter vivo e chegar em algum lugar. Esqueçam flashbacks, esqueçam desenvolvimento de personagem e esqueçam uma bola de vôlei para a criação de diálogos. Até o Fim é um filme silencioso. Simplesmente não existem diálogos, com uma pequena exceção. O objetivo do diretor é mostrar o acidente e o instinto natural do homem de se manter vivo. E só. Apesar de nosso interesse ser mantido quando as coisas ficam mais complicadas, é muito difícil conseguirmos nos conectar de maneira emocional com o que vemos. No final das contas, não me importei muito com o desfecho da história e isso é algo que pesa negativamente. Li muitos elogios em relação a atuação do Robert Redford e concordo em partes. Faltou um algo a mais para ele, coisa que Sandra Bullock (Gravidade) e Tom Hanks (O Náufrago) demonstraram possuir em papéis semelhantes.
6/10