troy-2004Baseado no clássico da literatura A Ilíada, Tróia pode até nos entreter em alguns momentos, mas ficou longe de se tornar o épico que pretendia ser. A Guerra de Troia tem início quando Páris captura Helena, esposa do rei de Esparta Menelau. As coisas acontecem rapidamente e quando menos percebemos já contemplamos a monstruosa frota de mil navios chegando em Troia, inclusive com a presença do grande guerreiro Aquiles. O problema é que não conseguimos comprar a ideia de que o amor de Páris e Helena vale tudo isso. A química entre os dois atores inexiste e os seus personagens são muito pouco interessantes.

As cenas de batalha exageram na computação gráfica e na câmera tremida, mas economizam no sangue e na violência. Em alguns momentos pode até ser difícil compreender o que acontece, inclusive pela semelhança das vestimentas dos exércitos. O ponto forte acaba sendo os combates individuais, principalmente aquele entre Heitor e Aquiles. Estes são os dois personagens que podemos destacar aqui, apesar de Brad Pitt ter investindo em um Aquiles mais humano do que deveria.

Arrastado e cansativo, Troia ainda conta com um vilão desnecessariamente caricatural. A trilha sonora também não colabora ao soar pouco inspirada e não acrescentar em nada em termos de emoção. Aliás, o grande pecado do filme é não conseguir nos fazer importar com o que vemos, diminuindo muito o impacto que as cenas deveriam ter, com algumas poucas exceções.
6/10