O Jovem Frankenstein é provavelmente o melhor trabalho do diretor Mel Brooks. Mesmo quase 40 anos depois do lançamento, o filme ainda é extremamente eficiente na difícil tarefa de fazer rir. E ele faz isso de uma maneira inteligente, com um vasto leque de personagens excêntricos e ótimas piadas, cheias de presença de espírito e alguns trocadilhos certeiros. Trata-se de uma paródia do Frankenstein original de 1931 dirigido por James Whale, mas que não desrespeita o material original, mesmo mudando o estilo de terror para comédia. Dessa vez o personagem principal é o neto do Dr. Frankenstein famoso, em uma caracterização inesquecível de Gene Wilder. Aliás, não faltam atores de qualidade interpretando personagens realmente engraçados, como o corcunda de olhos esbugalhados Igor (Marty Feldman), o inspetor da polícia com sua mão mecânica, o cego que oferece sua estranha hospitalidade e o próprio monstro (Peter Boyle). Muito do que vemos no filme original é visto aqui, mas quase sempre com um resultado diferente, como a famosa cena do encontro entre o Monstro e a garotinha. Isso sem falar em alguns cenários, que são exatamente os mesmos.  O Jovem Frankenstein simplesmente oferece tudo o que podemos esperar de uma comédia de qualidade. Clássico!
9/10