Crítica: Gattaca – A Experiência Genética (1997)

Gattaca apresenta um mundo tecnologicamente avançado, mas perturbador. Num futuro não muito distante os nascimentos por parto natural não são mais considerados naturais. Os chamados “filhos de Deus” se tornam cada vez menos comuns, dando lugar as crianças geradas por uma fertilização artificial que tem a capacidade de criar um ser humano sem a maioria dos problemas que nos acometem, como calvice, miopia e até mesmo coisas mais sérias, como propensão a doenças fatais. Os pais podem escolher como serão seus filhos, se serão morenos ou loiros, com olhos verdes ou azuis e assim por diante.
Desde o nascimento já sabemos as habilidades que uma pessoa pode vir a ter, então se ela tem um bom código genético ela vai se dar bem na vida, se o seu sangue for ruim, será um plebeu, será ralé. Nem no futuro escaparemos do preconceito e da discrminação e no mundo de Gattaca quem é o responsável por isso é o sangue. A raça, a cor e a nacionalidade não importam mais e sim as combinações das bases nitrogenadas de cada um.
Vincent é um desses cujo nascimento foi deixado ao acaso ao invés de manipulado geneticamente. E por azar, o seu sangue mostra que o seu futuro não é nada promissor. Seus problemas de saúde o colocam na casta dos discriminados, que não podem esperar mais do futuro do que limpar a sujeira dos outros ou algo do tipo. Só que Vincent sempre sonhou em ser astronauta para poder ver de perto as estrelas e ele vai fazer de tudo para driblar a genética.
O ritmo do filme é um tanto é lento, mas não arrastado. É a melhor maneira de contar essa história, que é ainda embalada por uma narração em off que sempre aparece no momento certo. Em sua essência Gattaca é a história da pessoa desfavorecida que vai tentar de tudo para alcançar os seus sonhos. Se esse tipo de coisa funciona em uma ficção científica podemos dizer que se trata de um ótimo filme, ainda mais quando nos estimula intelectualmente e quando é capaz de promover debates éticos por aí afora.
8/10 

7 comentários em “Crítica: Gattaca – A Experiência Genética (1997)”

  1. Esse filme é uma das obras de ficção científica mais bem faladas que conheço. Apesar disso, nunca consegui assistir a este filme.

  2. Este filme é uma obra digna de sucesso, sensacional… Uma ficção cientifica que ora outra parece ser obra policial ou de suspense… Muito bem elaboradoo… Bem organizadoo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s