Não existe possibilidades de assistir a Planeta Terror e levá-lo a sério. O diretor Robert Rodriguez se utiliza de um roteiro fraco para explorar as inúmeras possibilidades de um cinema trash, criando um filme extremamente divertido, repleto de mortes criativas, sangue, ação, mulheres atraentes e zumbis. Já nas primeiras cenas temos a certeza de que o filme é algo totalmente despretensioso. Não dá para pensar outra coisa quando vemos um vilão que coleciona o testículos do seus desafetos, não é mesmo? Se você pegar o espírito da coisa não tem como se decepcionar. São muitas as cenas hilárias. Uma das minhas preferidas é aquela em que ninguém mais, ninguém menos que Quentin Tarantino enfrenta um sério problema em seus órgãos genitais. Isso sem falar nas várias sequências de membros sendo arrancados, zumbis decepados por um helicóptero e assim por diante. Deu para perceber do que se trata, certo? Não é um filme de arte, não é um filme que exige a nossa inteligência. É só o bom e velho trash estilizado e sangrento de Robert Rodriguez.
8/10