Reencontrando a Felicidade é um filme sobre perdas. Mais especificamente, a pior perda que pode existir: a perda de um filho. O tema abordado já é depressivo o bastante, mas as atuações extremamente convincentes de Nicole Kidman e de Aaron Eckhart tornam tudo mais real e doloroso. O diretor John Cameron Mitchell acerta ao não se utilizar de uma mão pesada para contar a história. Ele nos mostra a ausência do filho aos poucos. Nada é esfregado na nossa cara. Reencontrando a Felicidade é um filme que sensibiliza. Sentimos a angústia dos pais ao relembrarem do filho em cada canto da casa, na cadeirinha do carro e no cachorro que o garoto amava.

O roteiro não se esquiva de mostrar como tudo aconteceu. E aí o filme mostra mais pontos positivos. Só que se eu continuar a falar sobre isso não tenho como evitar spoilers, portanto vou parar por aqui.

Escapar da atmosfera triste não é uma opção, mas o filme tem momentos menos pesados, que servem como uma certa mensagem de esperança e superação. Não vou me ater a alguma falha ou outra deste trabalho, prefiro enaltecer os acertos desse pequeno filme em termos de produção, mas enorme em sua honestidade e qualidade.
IMDb

/bk