Cotação: 8

Infelizmente ainda conheço pouco da filmografia desse cultuado cineasta espanhol radicado no México, mas o que conheço é suficiente para saber que ele tinha o pózinho mágico dos grandes diretores. O Anjo Exterminador é considerado por muitos o melhor filme dele. Acho complicado fazer uma afirmação dessas, mas certamente assistir a este filme é uma experiência única. O enredo é altamente insano e por isso mesmo, intrigante:  após uma ópera, um grupo de pessoas da alta sociedade é convidado para jantar na casa de um ricaço influente. Eles jantam, escutam uma mulher tocar piano, conversam, mantém as aparências como todos os bons burgueses e na hora de ir embora ninguém quer deixar a casa. Não existe uma explicação racional, simplesmente nenhum dos convidados consegue atravessar a porta.

Quer explicações para esse fato? Você não vai ter, mas saiba que elas não são necessárias. Você se conecta tão bem com a história que acaba não ligando para a falta de explicações. O que importa é ver como essas pessoas vão se comportar na sequência, já que eles ficam semanas presos na sala, sem comida, com sede, em um estado degradante. A provável intenção de Buñuel é fazer uma crítica ao comportamento burgues e ele faz isso de uma maneira nada convencional. Ele coloca pessoas acostumadas a comer caviar e tomar champagne tendo que procurar água no encanamento da casa e tendo que comer papel.

Como as pessoas que estão do lado de fora não conseguem entrar na casa, a situação se prolonga. O diretor Luis Buñuel se diverte com tudo isso. Ele também adiciona elementos no filme que nos deixam mais perdidos ainda, como a presença de um filhote de urso e de bezerrinhos na casa. Como falei, melhor não buscar respostas. O certo é mesmo aproveitar toda essa situação e se preparar para o final pra lá de irônico.


Título original: El ángel exterminador
Ano: 1962
País: México
Direção: Luis Buñuel
Roteiro: Luis Buñuel
Duração: 95 minutos
Elenco: Silvia Pinal, Enrique Rambal, Claudio Brook, José Baviera, Jacqueline Andere


Alguém indica outro filme do Buñuel? Gosto bastante de Os Esquecidos também.


/bruno knott