Edward Mãos de Tesoura

Título original: Edward Scissorhands
Ano: 1990
Diretor: Tim Burton

Quem nasceu nos anos 80 e não teve a infância marcada por este filme? Ver Edward Mãos de Tesoura na “sessão da tarde” gerava em mim os mais diversos sentimentos. Eu era muito criança para perceber todos os aspectos do filme, mas já conseguia observar algo muito importante nesta história: tudo que é diferente amedronta as pessoas.

Agora mais velho, me sensibilizo ainda mais com o filme.

Edward vivia isolado em seu castelo escuro e sombrio, cultuando um estilão gótico sem nem saber disso. Do nada, ele se vê no meio do lado “alegre” da cidade, onde tudo é colorido e cada coisa está no lugar certo.

É impressionante como as pessoas são volúveis. Num momento, todos admiram Edward pela sua excentricidade e pela habilidade que ele possui em utilizar as mãos de tesoura para criar verdadeiras obras de arte em arbustos, cortar cabelo e tosar cachorros. Pouco tempo depois, esses que o admiravam passam a querer arrancar as tripas do rapaz. É a intolerância com o diferente. Ele nem tem chances de explicar o que de fato aconteceu. Edward é tachado de crimonoso por ser um cara inocente e de bom coração.

Tim Burton cria uma história que tem de tudo um pouco: romance, humor, ficção, poesia e lágrimas.

O filme não daria certo não fosse por Johnny Depp. Considero este o melhor trabalho da carreira dele. Não é para menos. A composição do personagem é perfeita. Em vários momentos ele se atém a pequenos detalhes que são essenciais para conhecermos sua personalidade. Em poucos minutos já admiramos e torcemos para que Edward se dê bem no mundo “real”, mesmo sabendo que o mundo “real” não está pronto para dar boas-vindas sinceras a um cara como ele.

Nota: 8

21 comentários em “Edward Mãos de Tesoura”

  1. Acho que essa junção de vários gêneros em um só filme é uma das maiores qualidades desse longa. Fora que é um clássico da infância de muita gente (minha!) rsr

  2. Edward e Os Fantasmas se Divertem foram dois grandes filmes do Burton que marcaram minha infância – lembro até hoje do dia em que vi o segundo. Realmente Depp está formidável num filme que, como vc disse, é bizarro porém poético. Passou outro dia na tv e vi outra vez, mas só de ler sobre a obra dá vontade de assistir novamente.

  3. Assisti a primeira vez como o típico filme da sessão da tarde. E me apaixonei logo de cara. De lá pra cá, fuçei a cinematografia do Tim Burton de cabo a rabo e até hoje me surpreendo a cada dia mais com o cineasta. Quanto ao Johnny Depp… Precisa dizer alguma coisa? Ele e o Daniel Day-Lewis, pra mim, são hoje os maiores atores em atividade. E ponto final.

  4. Não tenho como discordar, por mais que levantem a bandeira de outras impagáveis criações do ator, Edward é seu ponto alto como artista.

  5. O cinema do Tim Burton me encanta desde a infância e, como “Edward Mãos de Tesoura” foi o primeiro filme dele que vi, penso até que é o mais marcante para mim. É um filme sensacional!

  6. Um filme primoroso na parceria Depp e Burton. O que eu acho mais lírico no filme é como a excentricidade de Edward é uma ode ao que deveríamos ser e não somos. Ser excêntrico é o ideal.

    Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s