Onde Vivem os Monstros

Título original: Where the Wild Things Are
Ano: 2009
Diretor: Spike Jonze

Onde Vivem os Monstros não é para crianças, por mais que dê essa impressão nos trailers. Provavelmente as crianças vão ficar com medo e até mesmo entediadas durante o filme, mesmo no cinema. Este é um filme para adultos. É uma oportunidade fantástica para nos lembrarmos de como era ser criança. De ter seus 9 anos e achar que tudo era possível. Ter essa idade e não precisar mais do que a imaginação para se divertir.

Não se trata de um filme de contos de fada ou algo do tipo. No fundo, é uma experiência um tanto sombria. Provavelmente por causa do personagem principal, o garoto Max. Ele é um garoto perturbado. Seus pais são divorciados, sua irmã não dá a atenção que ele esperava e ele aparentemente não têm muitos amigos. É um garoto solitário. Solitário e não muito são. Após um desentendimento com a mãe o garoto decide fugir e a partir dai a história realmente começa. Ele chega à uma ilha repleta de monstros e passa a ser o rei do local.

Ele está livre para fazer o que quiser. Me peguei me lembrando dos tempos de guri. Dos tempos que brincar de polícia e ladrão era algo extremamente divertido. Era legal, convenhamos. Apesar de não ter nenhuma referência ao natal no filme, me lembrei de como eu ficava ansioso nessa época do ano, esperando a chegada do velho barbudo. Enfim, Onde Vivem os Monstros resgata várias memórias daquele tempo onde tudo era mais fácil, mas nem sempre mais feliz.

Um dos grandes momentos do filme é quando o professor de Max fala que o Sol um dia irá apagar. Max, mesmo não demonstrando, sofre com essa informação, algo que podemos comprovar quando ele está na ilha dos monstros e comenta isso com o Carol, que também fica abalado.

Pode acontecer de você ficar um tanto entediado ou achar tudo extremamente WTF, mas os bons momentos e as memórias que o filme nos traz o fazem valer a pena.

Nota: 4/5

21 comentários em “Onde Vivem os Monstros”

  1. .b knott,
    obrigado pela visita!
    pois eh, ele mesmo, rs
    mudei algumas configurações agora
    seu blog eh do wordpress certo?
    tomara que consiga comentar
    abraço!
    [ainda volto pra comentar seus posts]

  2. consegui resisti e não baixei. sexta, portanto, é o grande dia! tô curioso demais, a trilha é fantástica e vi o trailer uma centena de vezes. parece lindo, pena que as notas não sobem de 4 mesmo, nem de 8. pena.

    []s!

  3. Ei, Bruno! Realmente, nossas opiniões sobre o filme são muito parecidas. Eu acabei não falando sobre a história do sol na minha resenha, mas é realmente um ponto interessante. Mas é legal ver como uma informação assim, aparentemente tão desconexa com a nossa vida (afinal, o sol só vai se apagar daqui a muitos e muitos anos) pode afetar uma criança. É aquele tipo de coisa nada a ver que acaba ficando na sua cabeça pro resto da vida.
    Um abraço!

    O Cara da Locadora

  4. Você assistiu este filme em pré-estreia? Entrei em contato com a distribuidora e eles decidirão até amanhã se irão ou não lançar o filme nesta semana…
    Estou ansioso para vê-lo e não acho nem de longe que ele será WTF.
    (Uma sugestão: quando for usar estes termos/gírias, coloque a explicação ou então o link para ela! Eu tive que pesquisar para saber o que é WTF! Ignorância minha, mas eu não tinha ligado o nome à sigla! rsrs)
    Abraço!

    1. quem me dera poder ver esse filme no cinema!

      no imax seria fantástico então, mas até agora não vi notícias sobre o lançamento dele aqui.

      tive que recorrer pra internet.

      abração e foi pelo mal WTF hahah

  5. Ando me surpreendendo com a boa recepção desse filme e com expectativa que muito criam sobre ele. Não me interessei muito por ele, somente em função do trailer. Mas pelo visto, acabarei conferindo por curiosidade!

    1. robson, é um filme que deve ser assistido mesmo, mas não espere morrer de amores por ele. pelo o que eu to vendo, muita gente acaba gostando do filme, mas sem ter vontade de ver novamente.

      abraço

  6. Fiquei bastante curioso porcausa da “fantasia” do moleque, ambas emocionais e físicas. Foto interessante essa que você colocou. Nunca assisti não. Se assistir, acredite, acho que não fikei pensando WTF, depois de várias coisas que já vi nada me choca haha. Mas pela sua crítica não parece ser chato não. Gostei quando lembrou do Natal, quando se fala em tempos assim tb sempre lembro. “onde tudo era mais fácil, mas nem sempre mais feliz”
    Abraço!

  7. Estou muito ansioso por esse filme, acho a trilha dele maravilhosa e injustiçada, né? Mas parece que a obra inteira conseguiu seduzir e encantar a todos, o que é ótimo!

  8. Oi, que bacana ouvir que não é um filme pueril. Pela sua resenha, é um retrato de que crianças pertubadas e carentes precisam de um mundo imaginário. Quem nunca inventou um amigo imaginário na infância que atire a primeira pedra, não é mesmo? Não estava dando muita bola para este filme, mas agora, com sua resenha fiquei curiosa. abs

  9. Acho que deve ser visto mesmo! Pois eu mesmo pensava que era um filme infantil, pelo trailer. Mas gostei da idéia de ser destinado mais ao público adulto, pois assim podemos refletir e vivenciar espíritos imaginários que todos tinham na infância!

    Parece ter uma fotografia linda!

    Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s